O ministro da Educação luxemburguês, Claude Meisch recebeu na passada terça feira (dia 4) a secretária de Estado das Comunidades, Berta Nunes, e o Presidente do Camões, I.P., Luís Faro Ramos, para debaterem a escolarização dos alunos lusófonos e «o lugar» da língua portuguesa nas escolas do Luxemburgo.

 

Nesta reunião estiveram também presentes o embaixador português no Luxemburgo, António Gamito, e o embaixador do luxemburguês em Portugal, Jean-Jacques Welfring.

Durante este encontro, que foi seguido de uma visita à Escola Internacional de Differdange e Esch-sur-Alzette (EIDE), Claude Meisch e Berta Nunes assinaram o quadro de referência dos cursos complementares de língua portuguesa que, desde o ano letivo 2017/2018, estão à disposição dos alunos ensino básico, do 2° ao 4° níveis, fora do horário escolar “normal”, duas vezes por semana.

Os acordos fechados entre ambas as partes, no âmbito do quadro de referência, definem o programa lecionado nestes cursos, que “compatibiliza o plano de estudos do Luxemburgo com o programa português do Instituto Camões”. Segundo o Ministério da Educação luxemburguês, o resultado alcançado é fruto de “um trabalho meticuloso” que “corporiza o compromisso dos dois governos com a língua portuguesa” e para as “culturas do mundo lusófono”.

O ensino de línguas na Escola Internacional de Differdange e Esch-sur-Alzette, que oferece a aprendizagem do português como língua materna desde o primeiro ano da escola primária até ao bacharelato europeu, foi outro dos temas abordados durante o encontro.

Claude Meisch e Berta Nunes foram unânimes quanto à importância de promover a aprendizagem do português nas escolas luxemburguesas, particularmente no contexto dos cursos opcionais a nível secundário.

As duas partes acordaram ainda colaborar ativamente “no desenvolvimento dos currículos para este curso”. Mais informação para esclarecer pais e encarregados de educação lusófonos sobre o sistema educativo luxemburguês vai ser reforçada.

Ainda em cima da mesa está a hipótese de dar mais espaço à língua portuguesa no âmbito dos cursos oferecidos na Universidade do Luxemburgo, com a criação de cadeiras específicas sobre a língua.

 

Fonte: Revista Port