O jornalista luso-brasileiro Ígor Lopes apresentou publicamente o seu novo livro na noite do dia 5 de julho, na Casa do Minho do Rio de Janeiro, no bairro do Cosme Velho, na Zona Sul carioca. A obra, sob o título “Rancho Folclórico Maria da Fonte da Casa do Minho do Rio de Janeiro – A jornada do grupo português que valoriza a cultura minhota no Brasil desde 1954”, destaca-se por ser um livro-reportagem e tem como objetivo celebrar os 65 anos de fundação do R. F. Maria da Fonte, o mais antigo dos quatro grupos da entidade minhota.

O evento ficou marcado pela presença de autoridades do Brasil e de Portugal, como o cônsul-geral de Portugal no Rio, Jaime Leitão, o cônsul-geral adjunto, João Marco de Deus, o sub-procurador-geral da República do Brasil, Alcides Martins, a conselheira das Comunidades Portuguesas, Maria Alzira Silva, o presidente do Real Gabinete Português de Leitura e do Liceu Literário Português, Francisco Gomes da Costa, o vice-presidente da GRES Unidos da Tijuca, Luís Pires da Silva Pezinho, além do padre Abílio de Vasconcelos, em atuação na Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, da fadista Maria Alcina, de representantes de academias literárias e de artes, responsáveis pelas casas regionais portuguesas, jornalistas, escritores, empresários e folcloristas.

Para o autor, que recebeu o título de sócio benemérito da Casa do Minho, o livro deve ser visto também como um documento que retrata os bastidores do rancho no Brasil e no exterior.

“O livro-reportagem é fruto de pesquisas históricas e entrevistas jornalísticas no Brasil e em Portugal. O intuito é mostrar o percurso do Rancho Folclórico Maria da Fonte ao longo dos seus 65 anos de existência, com foco na promoção dos nomes que fizeram o grupo ganhar a dimensão que tem hoje, explicar as ligações da Casa do Minho com as autoridades portuguesas, brasileiras e luso-brasileiras, desvendar os detalhes das atividades do Rancho, bem como apontar os seus principais momentos, além de entender a dimensão do seu protagonismo nacional e internacional. É importante ainda destacar o legado que está sendo deixado para as novas gerações em termos de folclore no Brasil”, destacou Ígor Lopes, que sublinhou que “o trabalho do Maria da Fonte é fruto de parcerias e de muita garra por parte dos seus componentes”.

A narrativa do livro procura também apontar a importância e a dimensão do protagonismo nacional e internacional do grupo, que ocupa hoje um lugar de grande notoriedade na Diáspora portuguesa, promovendo a língua de Camões, a cultura lusitana e as tradições, danças e cantares da região do Alto Minho.

Na opinião do presidente da Casa do Minho carioca, Agostinho dos Santos, “a partir de agora o Maria da Fonte tem uma obra de referência sobre a sua história e sobre o seu passado”.

Um dos momentos de maior emoção foi o depoimento do único fundador vivo do Maria da Fonte. Odir Ferreira recordou ter ingressado no rancho ainda muito jovem e disse ter na memória imagens de um passado glamoroso em termos de folclore.

A apresentação do livro contou ainda com a tecnologia para trazer ao evento um depoimento do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, que, por meio de um vídeo gravado no exterior, parabenizou o Maria da Fonte e destacou “a visão estratégica” da Casa do Minho em perpetuar, através da literatura, a história do seu principal rancho.

Em agosto, o livro será lançado em Viana do Castelo e em Braga, durante as apresentações do Maria da Fonte em Portugal. O valor arrecadado está sendo revertido para as ações e atividades do grupo.

Sobre o autor

ÍGOR PEREIRA LOPES é jornalista e escritor. É Mestre em Comunicação e Jornalismo pela Universidade de Coimbra (Portugal); Especialista em Gestão de Comunidades e Redes Sociais pela Universidade de Guadalajara (México), possui Extensão Universitária em Princípios da Comunicação Mediática Contemporânea pela Universidade de Santiago de Compostela (Espanha) e Graduação em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso (Brasil). Tem formações nas áreas de design gráfico profissional e edição de vídeo profissional.

É responsável por projetos jornalísticos, de comunicação e literários entre Brasil e Portugal. Atua para agências de notícias brasileiras e portuguesas. Tem experiência nas áreas de consultoria literária, assessoria de imprensa e de comunicação, comunicação estratégica empresarial e institucional, jornalismo digital, jornalismo cultural, relações públicas, social media, marketing digital e cultura digital.

É autor dos livros-reportagem “Maria Alcina, a força infinita do Fado” (2016); “Casa do Distrito de Viseu: cinquenta anos de dedicação à cultura portuguesa no Rio de Janeiro” (2016) e responsável editorial pelos livros “A Voz da Mulher” (2018), da jornalista e radialista Wylma Guimarães, e “Values, Motivation and Leadership – Fany Tchaicovsky and colleagues” (2015), organizado por Marcelo Fernandes.

É detentor de prêmios, títulos e distinções no meio profissional e acadêmico. É membro da Academia de Letras e Artes Paranapuã (ALAP), da Academia de Letras de Teófilo Otoni (ALTO) e da Eco Academia de Letras, Ciências e Artes de Terezópolis de Goiás (E-ALCAT).

Serviço do livro

Título do livro: “Rancho Folclórico Maria da Fonte da Casa do Minho do Rio de Janeiro – A jornada do grupo português que valoriza a cultura minhota no Brasil desde 1954”

Autor: jornalista luso-brasileiro Ígor Lopes

Páginas: 226 – Editora: COP EDITORA

Preço de venda no Brasil: R$ 50,00 (comercializado pela Casa do Minho do Rio)

Lançamento em Portugal: Agosto de 2019

Local: Viana do Castelo e Braga

Preço de venda em Portugal: € 20,00

** O valor total obtido com a venda do livro será utilizado para as ações e atividades do R. F. Maria da Fonte

 

Fonte: Mundo Lusíada